15.5 C
Ouro Branco

Martinho da Vila vê mais “esperança no Brasil” com Lula e exalta cotas raciais

Anúncios

Aos 85 anos, Martinho da Vila está longe de se aposentar da vida artística. Para a alegria dos fãs, o sambista acaba de lançar um novo projeto musical, o álbum Ópera Negra, disponível nas plataformas de streaming desde a última sexta-feira (12/5). Não por coincidência, o disco será apresentado ao público neste sábado (13/5), dia em que se comemora a abolição da escravatura no Brasil, no palco do Teatro J. Safra, em São Paulo.

“Eu já tenho 85 anos, acompanhei muito as mudanças do mundo. Mas não vejo muita diferença do que eu sou hoje para o que eu era 40 anos atrás, ainda faço quase tudo o que fazia. O que vai mudando são os gostos. Eu gostava muito de botequim, hoje não aguento mais. Se faço alguma coisa por muito tempo, eu já quero fazer outra, já quero mudar!”, diz.

Com esse anseio pelo novo, veio a inspiração para o álbum. “Desta vez, tinha que ter um conceito. Então eu pensei: como meus discos são mais para fora, mais alegres, resolvi tentar uma coisa mais dramática, um pouco para ficar diferente. E pensei numa ópera”, explica.

Representatividade

No bate-papo, o artista falou sobre a atual posição da negritude no país. Martinho afirma ter visto um pouco mais esperança no Brasil depois de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), voltar a presidir a República.

“Avançou bastante nos últimos anos. Você não via negros em campanhas publicitárias, em capas de revistas, em anúncios, de uma maneira geral. Descobriram que a imagem do negro é boa para a venda, eles achavam que que o pessoal não tinha poder de compra”, pondera, e completa: “O que está faltando mesmo é a gente participar da vida social brasileira de maneira geral. Se fizer uma foto do governo brasileiro, ela fica parecida com a de um governo europeu. Tinha que ter cota para ministros, para secretários, para acadêmicos… Ia ser bom para todo mundo, não só para os negros. Mas vamos chegar lá”, conclui.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos