Conversas sobre cessar-fogo em Gaza acabam sem avanços

As negociações de cessar-fogo entre o Hamas e mediadores foram interrompidas nesta terça-feira (5) no Cairo, sem avanços, com apenas alguns dias para uma possível suspensão dos combates a tempo do início do Ramadã.

O alto funcionário do Hamas, Bassem Naim, disse à Reuters que o grupo militante apresentou sua proposta de acordo de cessar-fogo aos mediadores durante dois dias de negociações e agora está esperando uma resposta dos israelenses, que ficaram fora dessa rodada.

“(Primeiro-ministro Benjamin) Netanyahu não quer chegar a um acordo e a bola agora está na quadra dos americanos” para pressioná-lo por um acordo, disse Naim.

Israel se recusou a comentar publicamente as negociações no Cairo.

Uma fonte disse à Reuters anteriormente que Israel estava se afastando porque o Hamas havia rejeitado sua exigência de fornecer uma lista de todos os reféns que ainda estão vivos. Naim disse que isso era impossível sem um cessar-fogo primeiro, pois os reféns estavam espalhados pela zona de guerra e mantidos por grupos separados.

As negociações do Cairo foram anunciadas como um obstáculo final para alcançar o primeiro cessar-fogo estendido da guerra – uma trégua de 40 dias durante a qual dezenas de reféns seriam libertados e a ajuda seria bombeada para Gaza para evitar uma fome causada pelo homem, antes do Ramadã, que deve começar no início da próxima semana.

Fontes de segurança egípcias disseram na segunda-feira (4) que ainda estão em contato com os israelenses para permitir que as negociações continuem sem uma delegação israelense presente.

Washington, que é o aliado mais próximo de Israel e um dos patrocinadores das negociações de cessar-fogo, disse que um acordo aprovado por Israel já está na mesa e cabe ao Hamas aceitá-lo. O Hamas contesta esse relato como uma tentativa de desviar a culpa de Israel se as negociações fracassarem sem acordo.

Os Estados Unidos também pediram que Israel faça mais para aliviar a catástrofe humanitária em Gaza, onde mais de 30 mil pessoas foram mortas pelo ataque de Israel, lançado após os ataques do Hamas que mataram 1.200 pessoas em outubro.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Descubra mais sobre Portal Ouro Branco Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading