Álvaro Dias prepara apoio a Fábio e pode prejudicar o próprio filho

Nos últimos dias, ganhou força uma articulação comandada pelo candidato ao Senado Rogério Marinho (PL), aliado de Álvaro, para trazer o prefeito da capital potiguar para o palanque oposicionista

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), está prestes a sair de cima do muro e declarar apoio a Fábio Dantas (Solidariedade) na disputa para o Governo do Estado. O candidato do Solidariedade conta com o apoio do prefeito para se garantir no 2º turno da disputa estadual. Atualmente, ele aparece em 3º lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Nos últimos dias, ganhou força uma articulação comandada pelo candidato ao Senado Rogério Marinho (PL), aliado de Álvaro, para trazer o prefeito da capital potiguar para o palanque oposicionista.

Existe uma expectativa de que o anúncio seja oficializado na próxima semana, durante a visita do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) a Natal.

Fontes afirmam que um fator preponderante para a aproximação do prefeito de Natal foi a declaração pública de apoio a Bolsonaro feita por Fábio Dantas nos últimos dias. O candidato do Solidariedade marcou presença até nos atos bolsonaristas de 7 de setembro, vestindo uma camisa verde-amarela.

Rogério Marinho aproveitou este momento para atrair Álvaro Dias para o grupo, e conseguiu convencer o prefeito, que vinha declarando publicamente ter divergências com os três principais candidatos ao Governo: além de Fábio Dantas, Fátima Bezerra (PT) e Capitão Styvenson (Podemos).

Adjuto Dias poderá ser prejudicado com declaração de apoio

Caso Álvaro Dias decida formalizar seu apoio a Fábio Dantas, o grande prejudicado poderá ser Adjuto Dias, filho do prefeito que é candidato a deputado estadual pelo MDB – partido que compõe o arco de alianças em torno da reeleição da governadora Fátima Bezerra.

Existe um acordo entre Álvaro Dias e o MDB para que o prefeito fique neutro na disputa estadual, em troca de ter a legenda assegurada para o filho ser candidato a deputado estadual. Um apoio a Fábio Dantas seria considerado pelos emedebistas como uma traição ao próprio MDB, que tem Walter Alves como candidato a vice-governador na chapa de Fátima Bezerra.

Segundo foi apurado, o prefeito estaria disposto a ignorar o acerto e seguir a orientação de Rogério Marinho, compondo o palanque de Fábio Dantas.

Fontes da reportagem asseguram que o MDB responderá ao eventual movimento do prefeito, desmobilizando a nominata de 23 candidatos que dá suporte à candidatura de Adjuto Dias a deputado estadual (ao todo, incluindo o filho do prefeito, são 24 nomes). A possibilidade de nomes do partido retirarem suas candidaturas para prejudicar as pretensões de Adjuto Dias não é descartada.
Outra maneira é cortar o repasse de recursos do fundo partidário para os candidatos, canalizando verbas apenas para a disputa de deputado federal – considerada prioritária pelo partido.

Calcula-se que cada partido deverá ter ao menos 70 mil votos para eleger um deputado estadual. Em 2018, o deputado mais votado foi Ezequiel Ferreira (PSDB), com 58 mil votos. Ou seja, mesmo que Adjuto Dias repetisse o desempenho de Ezequiel em 2022, precisaria de pelo menos 12 mil votos dos companheiros de partido para ser eleito – a menos que ele seja um fenômeno de votos nas próximas eleições e consiga atingir praticamente sozinho o quociente partidário.

MDB confiou nominata de deputado ao prefeito

Emedebistas consultados pela reportagem afirmam que o eventual apoio de Álvaro Dias a Fábio Dantas repercutiria muito mal dentro da legenda. Eles lembram que a direção do partido entregou ao prefeito de Natal a condução do processo de formação da nominata para deputado estadual, deixando Álvaro Dias bem à vontade para filiar nomes para a legenda. Apoiar um adversário para o Governo do Estado seria considerado – reforçam os emedebistas – uma traição.

Ao confiar a construção da nominata de deputado estadual a Álvaro Dias, o MDB focou suas atenções na elaboração da nominata para deputado federal, liderada pelo candidato Garibaldi Alves Filho. É a votação para deputado federal e a quantidade de deputados efetivamente eleitos que dá ao partido mais recursos dos fundos partidário e eleitoral e tempo na propaganda eleitoral no rádio e na TV.

Outro acordo com Fátima seria descumprido

Ainda segundo apurado, não apenas o MDB ficaria contrariado com a decisão do prefeito de Natal de apoiar Fábio Dantas. A governadora Fátima Bezerra também se sentiria traída pelo prefeito de Natal. Isso porque, de acordo com apuração da reportagem, Álvaro Dias também teria fechado um acordo com a petista para ficar neutro na disputa. O candidato a vice-governador Walter Alves também teria participado da conversa.

Nesse acordo, Álvaro não se meteria na disputa para o Governo do Estado em troca da não adesão de vereadores ligados à governadora à abertura de uma CEI (comissão especial de inquérito) para investigar compras da Secretaria Municipal de Assistência Social durante a gestão de Adjuto Dias como secretário.

Quando vereadores ameaçavam abrir a CEI, Álvaro Dias apelou a Fátima para desmobilizar a bancada da oposição. Com isso, a governadora atendeu ao apelo, e a CEI morreu no nascedouro.

AGORARN

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Descubra mais sobre Portal Ouro Branco Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading