16.3 C
Ouro Branco

O que se sabe até agora sobre o terremoto no Marrocos

Anúncios

O terremoto no Marrocos, que provocou mais de 2.000 vítimas fatais até este domingo (10), é considerado o mais letal desde a década de 1960, conforme o Ministério do Interior do país africano. 

O abalo do última sexta-feira (8) teve epicentro numa região próxima à cidade turística de Marrakech, considerada Patrimônio Mundial da Unesco.

Segundo a agência EFE, o governo marroquino teria aceitado a ajuda de quatro países para auxiliar nas tarefas de salvamento: Espanha, Reino Unido, Emirados Árabes e Catar. Equipes irão atuar no resgates de pessoas presas nos escombros.

A Cruz Vermelha Internacional destacou que o país da África poderá precisar de “meses, ou até anos” de auxílio para reconstrução de áreas atingidas.

Projeções de especialistas estima que 300 mil pessoas possam ter sido afetadas pelo sismo em Marrakech, isto é, um terço da população da cidade.

Diante da calamidade, o rei Mohammed 6º declarou três dias de luto nacional e as Forças Armadas anunciaram que irão garantir o fornecimento de abrigo, comida e outras formas de ajuda aos sobreviventes.

As províncias mais atingidas foram Al Haouz, Ouarzazate, Marrakech, Azilal, Chichaoua e Taroudant. Nesses locais, há centenas de vítimas, segundo o Ministério do Interior local.

O Marrocos está localizado entre as placas tectônicas da África e euroasiática. Isso faz com que o país seja frequentemente atingido por terremotos.

Em 2004, pelo menos 628 pessoas morreram e 926 ficaram feridas por conta de um terremoto em Alhucemas, no nordeste do país.

A porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, informou em comunicado que a Organização das Nações Unidas está “pronta para ajudar o governo de Marrocos nos seus esforços para auxiliar a população afetada”.

Segundo o centro de sismologia dos Estados Unidos, o tremor teve uma magnitude de 6,8 graus na escala Richter, que mede a força de eventos como esse num intervalo numérico que vai de zero a 10.

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) emitiu um comunicado no sábado (9) para expressar pesares do governo brasileiro às famílias das vítimas do terremoto que ocorreu na noite de sexta-feira (8) na província de Al Haouz, no sul do Marrocos. Além disso, a nota também transmitiu solidariedade ao povo e ao governo marroquinos.

O governo federal divulgou os contatos da Embaixada do Brasil em Rabat, a capital do país, que está operando em regime de plantão. Os funcionários brasileiros do posto marroquino podem ser contatados pelo telefone +212 661 16 81 81 (inclusive WhatsApp). Além disso, o plantão consular do Itamaraty também está disponível para atendimento através do telefone e WhatsApp: +55 61 98260-0610. Até o momento, não foram confirmadas vítimas brasileiras.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos