21.5 C
Ouro Branco

‘Minha filha era tudo na nossa vida’, diz pai da 1ª vítima de dengue no RN em 2024

Anúncios

Wigna morava no município de Itaú e morreu no mês de março. Confirmação da causa se deu na última semana pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Wigna Monielly Cosmo da Silva morreu no dia 21 de março

“Não tem nem como falar da saudade da minha filha, porque ela era tudo na nossa vida. Minha filha era tudo pra nós”.

A afirmação é do pescador Sebastião Cosme da Silva Neto, pai da também pescadora Wigna Monielly Cosmo da Silva, de 21 anos, morta pela dengue no último mês de março. A jovem representou a primeira morte pela doença no Rio Grande do Norte em 2024.

A causa da morte foi divulgada nesta sexta-feira (19) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) após a confirmação na semana passada.

Wigna morava na cidade de Itaú, onde também vivem os pais. Segundo a família, ela era saudável e não tinha problemas de saúde.

A pescadora era casada e deixou dois filhos, uma menina de 3 anos e um bebê de cinco meses.
“Deixou duas crianças que são as coisas mais lindas do mundo. Era tudo que ela queria na vida dela”, lembrou o pai.

Sebastião lembrou que a filha chegou a ir três dias seguidos no hospital da cidade de Itaú (RN) com os sintomas da dengue antes de ser transferida para o Hospital Regional Dr. Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, cidade distante cerca de 40 quilômetros.

“Ela estava com muita dor. Eles aqui em Itaú achavam que a menina estava com infecção no intestino. Passaram remédio para isso”, lembrou o pai.

Ele contou que chegaram a buscar plaquetas na cidade de Mossoró para auxiliar no quadro da filha, mas quando chegaram em Pau dos Ferros ela já havia morrido. “Agora resta só a saudade”, lamentou o pai.
Ela deu entrada no Hospital Regional de Pau dos Ferros por volta de 13h do dia 20 de março, segundo a família, mas morreu por volta de 1h da madrugada do dia 21.

RN registra primeira morte por dengue em 2024

O Rio Grande do Norte registrou a primeira morte causada por dengue em 2024. A morte aconteceu em março e a confirmação da causa se deu na última semana pela Sesap. A informação foi divulgada nesta sexta.

O laudo do óbito ao qual a Inter TV Costa Branca teve acesso informa que a morte foi causada por “dengue hemorrágica” e “distúrbio hidroeletrolítico” – o que ocorre quando a pessoa perde grandes quantidades de líquidos e eletrólitos.

“Ela foi ao médico, o médico passou dipirona e soro, de dia. Ficou até de noite internada e foi liberada para casa. Mas no outro dia ela teve os mesmo sintomas”, contou o marido Marcos Sousa.

“Foi no médico de novo e enviaram ela para Pau dos Ferros, mas ela não teve melhora e foi se agravando, vomitando, com inflamação no corpo, muita dor. Pediram exames e à noite disseram que iam intubar ela”.

Casos de dengue no RN

De acordo com o último boletim epidemiológico, o RN tem 15.183 casos prováveis de dengue, sendo 2.281 já confirmados. O número de casos prováveis este ano já é maior do que o registrado em todo o ano de 2023, quando foram contabilizadas 12.048 ocorrências.

Nesta quinta, o Ministério da Saúde orientou a ampliação da faixa etária para vacinação contra a dengue. A Sesap orientou que os municípios seguissem a recomendação.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos