19.7 C
Ouro Branco

Mesmo após ordem judicial, jovem aguarda transferência sob risco de vida

Anúncios

Marcelo Sottocorno Gregório, 30 anos, luta pela vida diariamente, desde que sofreu um acidente automobilístico em novembro de 2022. Com quadro de hidrocefalia pós-traumatismo grave no crânio e frequentes infecções, a família do jovem obteve decisão judicial favorável para que ele seja transferido para um hospital de alta complexidade em neurologia.

A transferência, porém, ainda não foi efetivada pelo plano de saúde de Marcelo, a NotreDame Intermédica. Sob risco de falecimento, com o quadro de saúde instável, cada minuto importa.

O técnico de equipamentos médicos hospitalares está internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital Salvalus na Mooca, zona leste de São Paulo. A família do jovem acusa o hospital de negligência no tratamento, sem cumprir as recomendações médicas para o caso de Marcelo.

Com a falta dos cuidados necessários, ele já contraiu onze infecções hospitalares, que pioram o quadro de saúde progressivamente. Marcelo já passou por três internações: entre 6 de novembro e 27 de dezembro, logo após o acidente; de 6 de janeiro a 2 de março e de 10 de abril até o momento.

Sem o suporte adequado, o jovem perdeu os movimentos quase completamente, além de sequelas ortopédicas e fonoaudiológicas. “Ele piorou de novo nesta madrugada, estamos desesperados para que a transferência aconteça logo”, disse, ao Metrópoles, Fabiane Gregório, irmã de Marcelo.

O juiz José Wellington Bezerra da Costa Neto, da 4ª Vara Cível da Comarca de Mauá (SP), determinou na última segunda-feira (12/6) que a NotreDame Intermédica transfira imediatamente Marcelo para o hospital Nove de Julho, também em São Paulo, sob multa diária de R$ 10 mil.

Negligência

Entre os percalços enfrentados pela família para garantir o cuidado de Marcelo, estão três processos judiciais, todos vencidos. O primeiro, para garantir uma cirurgia necessária pela hidrocefalia, com instalação de uma válvula no cérebro.

O segundo, para ter acesso aos prontuários médicos do jovem. O terceiro e último, pela transferência para um hospital de alta complexidade em neurologia.

Fabiane conta que a família precisou contratar uma equipe de enfermagem para auxiliar Marcelo no hospital Salvalus, uma vez que a equipe do local não consegue atender todos os pacientes.

Eles também contrataram uma perícia médica que constatou diversas irregularidades que agravam o estado de saúde de Marcelo. Os problemas vão da falta de higiene bucal, troca de curativos e aplicação de colírios e pomadas prescritas até complicações de saúde não relatadas em prontuário médico.

“Os próprios funcionários do hospital se esforçam para ajudar quando podem, mas confessam que não têm tempo para oferecer os cuidados e toda a atenção que o caso dele exige devido a rotina do hospital”, conta Fabiane.

“Para eles o Marcelo é somente mais um número e um custo alto! Para nós ele é uma vida que estamos fazendo de tudo como família para salvar. Estão esperando uma tragédia maior acontecer e perdermos o Marcelo, para eles será lucro”, destaca.

Resposta

Em nota, o hospital Salvalus informou que o paciente deu entrada no hospital em estado gravíssimo, após trauma causado por acidente automobilístico.

“Desde sua chegada, o paciente contou com toda a estrutura dedicada para salvar sua vida, desde sua internação, em novembro do ano passado. Uma equipe especializada e de referência tem acompanhado o paciente incansavelmente na luta pela sua estabilização e melhora clínica. O hospital reforça que está à disposição da família para elucidações e continua na busca do melhor para a saúde de Marcelo Gregório”.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos