“Lula ou Bolsonaro devem reconhecer resultado das urnas, seja ele qual for”

Ex-senador diz que no Brasil não existe espaço para “melar” o processo eleitoral com eventual contestação aos resultados

Após declarar apoio à candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL) à Presidência da República, o vice-presidente nacional e presidente estadual do União Brasil, o ex-senador José Agripino Maia, declarou nesta segunda-feira 10, esperar que o candidato derrotado reconheça a vitória do adversário nas urnas, tão logo o resultado seja anunciado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele disse que no Brasil não existe espaço para “melar” o processo eleitoral com eventual contestação aos resultados das eleições.

“Uma coisa da qual eu não abro mão, é de que eleito sej quem for, assuma democraticamente o mandato. Essa história de dizer que vai ‘melar’ o jogo, esqueçam isso. O Brasil está cheio de observadores internacionais e eu como adepto, seja de um ou do outro, quem for eleito (Lula ou Bolsonaro) tem que assumir e exercer o mandato e cuidar de pacificar o Brasil. Respeitar a democracia, respeitar o resultado e pacificar os ânimos dos brasileiros”, defendeu.

O presidente Bolsonaro, no entanto, tem indicado que poderá não respeitar e questionar as urnas, caso sua derrota se confirme.

De acordo com José Agripino Maia, “é imprevisível o que vai acontecer, tem muitos rumores e muitas emoções envolvidas nessa história, tenho muito medo das sequelas que vão ficar nesse embate da extrema-direita com a extrema-esquerda ou de direita com a esquerda, porque com Lula que é extrema-esquerda, mas tem a esquerda moderada. (Já) com Bolsonaro tem extrema-direita, mas também tem a direita democrática, tem o centro também. Então, vão ficar sequelas, é lamentável, faz parte do processo democrático e é preciso que se respeite os resultados”, enfatizou em entrevista à Rádio CBN Natal.

APOIO

O União Brasil no Rio Grande do Norte definiu que vai subir no palanque de Bolsonaro (PL). O anúncio foi feito por José Agripino Maia na última sexta-feira, na sede da agremiação, no bairro de Lagoa Nova, na zona Sul de Natal.

“Formulação programática, é visão de futuro, é o que nós queremos para o Brasil. O Brasil precisa crescer e tem toda a condição d crescer, crescer em cima de suas potencialidades, mas em cima de um modelo econômico, com respaldo para as minorias que precisammais do governo”, disse.

O presidente do União Brasil, argumentou que a decisão passou por uma análise do cenário. “O PT é estatizante, o PT tem políticas sociais que privilegia os pobres, mas não olha o conjunto do Brasil. Isso prejudica muito a relação internacional, tanto dentro do país, como de dentro para fora. Em função de uma ideologia de centro, que Bolsonaro de qualquer maneira representa e interpreta, os nossos líderes decidiram que o melhor caminho para o Rio Grande do Norte, Brasil e União Brasil no Estado é apoiar Bolsonaro”.

Durante a oficialização estavam os candidatos eleitos do União Brasil no Estado, Taveira Júnior e Ivanilson Oliveira, que ganharam uma cadeira na Assembleia Legislativa, além de Benes Leocádio e Paulinho Freire, que ocupam vaga na Câmara dos Deputados. O deputado reeleito Tomba Farias, do PSDB, também participou do evento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Descubra mais sobre Portal Ouro Branco Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading