23 C
Ouro Branco

Janja diz sofrer misoginia todos os dias e fala em não desistir

Anúncios

Em evento ao lado da ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, ela afirmou que quer “ressignificar” o papel de mulher do presidente da República

A primeira-dama Rosângela Lula da Silva, a Janja, afirmou nesta quarta-feira 31 que sofre misoginia todos os dias e que não irá desistir.

Em evento ao lado da ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, ela afirmou que quer “ressignificar” o papel de mulher do presidente da República.

“Cada vez que ouço uma mulher falando que não desistiu, para mim é muito importante porque eu também sei do que estou sofrendo nesse lugar que estou ocupando hoje. Isso que a ministra Cida falou da questão da misoginia talvez muitos homens não consigam entender o que significa, mas a gente sofre todos os dias, eu tenho sofrido todos os dias isso”, declarou.

Ela disse que “quer estar mais atuante, mais próxima em causas” que considera caras, como a pauta feminina, o combate à fome e a proteção de crianças e jovens.

A primeira-dama afirmou que tem conversado com “esposas de presidentes, parlamentares e ministra” para tratar do tema.

Janja tem exercido ampla influência junto ao presidente Lula (PT). Diferentemente de Marisa Letícia, que era mulher do petista em seus dois primeiros mandatos e faleceu em 2017, Janja é mais ativa no dia a dia do governo.

No início do mandato, Lula chegou a cogitar nomeá-la para um cargo no Palácio do Planalto. Após consultar informalmente sobre a viabilidade legal da medida, porém, auxiliares do apresentaram ressalvas à designação de um cargo para Janja sob pena de ser caracterizado como nepotismo.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos