14.8 C
Ouro Branco

Guerra da Ucrânia: região russa de Belgorod tem intensos conflitos com mortes e feridos

Anúncios

A cidade russa de Shebekino, da região de Belgorod, sofreu intensos ataques na última quinta-feira (1º) de grupos ligados à Ucrânia. De acordo com o governador da região, Vyacheslav Gladkov, duas pessoas morreram e 16 ficaram feridas. Três prédios administrativos, um conjunto habitacional e dez empresas e instalações comerciais foram danificados. Não há eletricidade nem abastecimento de água na cidade.

Segundo as autoridades, o distrito fronteiriço de Grayvoron também foi bombardeado. Os relatos dão conta de um total de 65 morteiros disparados no distrito.

Após o início da guerra na Ucrânia, a região de Belgorod, como outras regiões que fazem fronteira com a Ucrânia, passou a sofrer regulares bombardeios. No final de maio de 2023, estes ataques passaram a ser diários.

Os ataques à região de Belgorod são reivindicados pelos grupos paramilitares “Legião da Liberdade da Rússia” e do “Corpo de Voluntários Russos” (RDK, na sigla em inglês). Estes grupos são formados por batalhões de russos que lutam ao lado da Ucrânia contra o governo de Putin.

O ex-deputado russo Ilya Ponomarev, que vive na Ucrânia desde 2016 e hoje é ligado aos grupos Legião da Liberdade da Rússia” e Corpo de Voluntários Russos” (RDK, na sigla em inglês), alega que o objetivo final destas entidades no contexto da guerra é a “derrubada de Putin e a libertação da Rússia”.

O Blog entrou em contato com o ex-deputado na última sexta-feira (2) após o anúncio de uma nova ofensiva por parte da Legião da Liberdade da Rússia e do RDK em Belgorod. Sendo uma das principais figuras públicas que propaga as atividades dos grupos paramilitares que lutam do lado ucraniano, Ponomarev, informou que “a operação na região de Belgorod está em continuidade”.

No total, desde o início da guerra até maio de 2023, as autoridades de Belgorod relataram 358 casos de bombardeios na região. Desse total, 130 aconteceram somente em maio. Durante este mês, as autoridades locais relataram a morte de oito civis e outros 60 feridos. Durante toda a guerra, de acordo com Vyacheslav Gladkov, 32 pessoas morreram na região como resultado de bombardeios e outras 157 ficaram feridas.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos