17.6 C
Ouro Branco

Governo Lula suspende publicidade no X após embate entre Musk e Moraes

Anúncios

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) suspendeu na sexta-feira (12) a formalização de novos contratos de publicidade no X (antigo Twitter). A decisão ocorre após o dono da plataforma, o bilionário Elon Musk, usar a rede social para criticar o petista e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

O governo sustenta que a suspensão foi baseada em uma norma da Secretaria de Comunicação Social (Secom) que restringe a veiculação de anúncios governamentais em canais que promovem desinformações. A informação foi confirmada pelo Estadão.

A suspensão não tem prazo para terminar. A medida estará vigente até que o Planalto decida sobre um possível embargo permanente à plataforma de Musk.

Como mostrou o Estadão, entre janeiro e abril deste ano, o governo Lula destinou R$ 654 mil aos cofres da rede social X para impulsionar “publicações de utilidade pública” e ações de comunicação institucional.

Os gastos foram realizados por seis Ministérios e pela Presidência da República. As pastas firmaram 95 contratos, de acordo com os dados disponíveis no Portal da Transparência. A Secom foi a recordista de repasses à rede social de Musk. Foram destinados mais de R$ 263 mil à plataforma por meio de 37 contratos desde o início do governo Lula, em janeiro do ano passado.

Também nesta sexta, Lula publicou pela primeira vez na rede social BlueSky. Logo após a criação da conta, Lula fez a primeira publicação no perfil sobre a visita dele a uma planta frigorífica em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, que recebeu licença para exportar produtos para a China. Lula manteve ativa sua conta no X.

No sábado (6), Musk utilizou a sua rede social para acusar Moraes de infringir a Constituição brasileira e promover a censura em decisões judiciais. Além do X e da Tesla, Musk é dono da startup de foguetes SpaceX, que pretende levar astronautas para a Lua em parceria com a Nasa.

No domingo (7), Musk disse que Moraes deveria renunciar à sua cadeira na Corte ou sofrer um impeachment. Em resposta, o ministro incluiu o empresário como investigado no inquérito das milícias digitais por “dolosa instrumentalização” do X. Na segunda, 8, o empresário novamente atacou o ministro, chamando-o de “ditador” e afirmando que ele teria o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “na coleira”.

Lula reagiu às críticas de Musk e alfinetou o empresário indiretamente em dois eventos do governo federal. Na terça-feira, 9, ele disse que o dono do X deveria usar o seu dinheiro para “ajudar a preservar” o meio ambiente. Na quarta-feira, 10, o petista chamou o bilionário de “empresário americano que nunca produziu um pé de capim” no Brasil.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos