11.6 C
Ouro Branco

Governo Federal investe R$ 25 milhões em segurança hídrica no RN

Anúncios

Foi publicado, no Diário Oficial da União (DOU) da sexta-feira (03), o Extrato de Convênio que trata da liberação de R$ 25,1 milhões pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) para a elaboração de estudos e projetos estratégicos na área de segurança hídrica no RN. O convênio é celebrado entre Secretaria Nacional de Segurança Hídrica e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte (SEMARH).

Segundo o próprio MIDR, todo o valor já foi empenhado e será liberado à medida que o Governo do Estado conclua os processos licitatórios para a realização dos serviços, com prazo de conclusão até 31 de dezembro de 2026.

O pedido para a disponibilização dos recursos, visando a segurança hídrica do estado, foi feito pela governadora Fátima Bezerra durante sua agenda em Brasília ainda em 25 de outubro deste ano. A solicitação veio da necessidade do desenvolvimento de estudos objetivando a ampliação dos usos da água no estado a partir da água que está chegando através do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) até as bacias hidrográficas diretamente beneficiadas.

As águas do PISF chegarão ao Rio Grande do Norte por meio de duas bacias hidrográficas: dos rios Piancó-Piranhas-Açu, e do rio Apodi-Mossoró, alterando positivamente o cenário de oferta de água no estado, abastecendo a população para o sistema produtivo, para programas de obras de saneamento básico, para a agricultura irrigada e carcinicultura (criação de camarões em viveiros). Mas tão importante quanto, será a oferta para o abastecimento humano – o Projeto de Integração do Rio São Francisco garantirá água para todas as cidades do semiárido potiguar através dos sistemas adutores existentes e a serem projetados e implantados, como os do Projeto Seridó.

Por sua importância, e pela necessidade de fazer uma gestão condizente com a complexidade do sistema PISF, o desenvolvimento de estudos, projetos e obras se fazem necessários. Serão realizados através do Plano Estadual de Recursos Hídricos, recentemente atualizado. “O plano diz ao povo do RN que o governo tem planejamento, tem ações e sabe o que fazer. É um instrumento estratégico de longo prazo para a gestão adequada e racional do aproveitamento das águas em nosso território”, afirma a governadora Fátima Bezerra, na ocasião da atualização do Plano em março de 2022.

Em matéria publicada pelo Governo Federal, Giuseppe Vieira, secretário Nacional de Segurança Hídrica do MIDR, explica que os estudos e projetos facilitarão aos governos Federal e do Rio Grande do Norte o planejamento de detalhes para o uso da água que chegará futuramente ao estado. “Será possível saber, por exemplo, quais obras hídricas precisarão ser feitas, se serão necessárias estruturas complementares para os usos múltiplos da água, como consumo humano e animal e para os processos produtivos”, afirma o secretário.

Segundo informações do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), no convênio está prevista a elaboração do projeto básico do canal do Mato Grande, além de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental das alternativas de rearranjo, adequação e complementação da infraestrutura hidráulica da Bacia Hidrográfica do Rio Apodi, em Mossoró.

Também serão feitos estudos e projetos para monitoramento e operação da infraestrutura hidráulica da bacia hidrográfica dos Rios Piancó e Piranhas-Açu e da Região Sertão Central, por meio de serviços de campo com topografia e geotecnia.
Outra iniciativa é a realização de anteprojeto e estudos de viabilidade técnica, econômica, financeira e ambiental da derivação de águas do rio Apodi para irrigação de terras às margens do Rio Umari.

Também serão realizados os projetos básicos dos sistemas adutores de abastecimento humano das regiões do Alto e Médio Oeste potiguares, além de projetos de infraestrutura hídrica voltados à expansão da agricultura irrigada e da produção de camarão no Rio Grande do Norte.

Complexo de Oiticica, Projeto Seridó e Barragem Passagem das Traíras

Compondo uma das principais obras de segurança hídrica no Rio Grande do Norte, o Complexo Oiticica abrange a obra da Barragem de Oiticica e as obras sociais – como a Nova Barra de Santana e Agrovila de Jucurutu, que já estão entregues; a Agrovila de São Fernando, já iniciada; e a Agrovila de Jardim de Piranhas, que está com edital publicado para abertura de propostas em novembro. Hoje, a obra da Barragem de Oiticica, localizada no município de Jucurutu-RN, está 95% concluída.

Essencial para a segurança hídrica no estado, a Barragem de Oiticica é porta de entrada das águas do São Francisco no estado, e está incluída no Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Quando finalizada, vai garantir o abastecimento de 330 mil pessoas em oito cidade potiguares.

O Projeto Seridó irá garantir segurança hídrica a cerca de 300 mil pessoas em 24 cidades potiguares, com a implantação de sistemas adutores para captação de água em reservatórios já existentes no sul da região, atendendo a pequenas demandas, e para retirada e transferências de água armazenada nas barragens de Oiticica e Armando Ribeiro Gonçalves.

Já a Barragem Passagem das Traíras é uma das mais importantes do Rio Grande do Norte e tem capacidade para armazenar até 50 milhões de metros cúbicos de água. Ela integra o conjunto de barragens da Bacia do Rio Piranhas-Açu e está em operação desde 1995.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos