19.7 C
Ouro Branco

Governo confirma ao menos 259 ataques criminosos em cinco dias no Rio Grande do Norte

Anúncios

O governo confirmou ao menos 259 ataques criminosos a prédios públicos, comércios e veículos no Rio Grande do Norte, desde a última quarta-feira (14). Segundo a polícia, as ações são comandadas por uma facção criminosa.

Governo confirma ao menos 259 ataques criminosos em cinco dias no Rio Grande do Norte

Os dados são do Centro Integrado de Inteligência e Segurança Pública do Nordeste e foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do RN neste sábado (18).

Segundo a polícia, os registros de novos casos vem caindo dia após dia desde a última terça-feira (14), primeiro dia dos ataques, em que foram registradas 103 ocorrências. Um levantamento do g1 aponta que pelo menos 48 cidades potiguares tiveram ataques registrados desde então.

No entanto, a Secretaria de Segurança Pública admitiu que pode haver casos que ocorreram e que ainda não foram registrados oficialmente, porque ainda dependem de análise da Polícia Civil.

Até este sábado (18), o governo não havia divulgado nenhum balanço oficial com número de ações criminosas registradas.

Reforço na segurança

Segundo a Secretaria de Segurança do RN, até o início deste sábado (18), 455 agentes de segurança pública foram cedidos para dar apoio ao trabalho das forças estaduais. São agentes da Força Nacional, da Polícia Rodoviária Federal, e dos estados do Ceará e da Paraíba. Segundo o governo, novos militares deverão chegar nos próximos dias.

Ainda segundo o governo, foram registradas, até o início da tarde de sábado (18), 106 prisões, incluindo 18 presos na Operação Normandia, deflagrada pela Polícia Civil e pela Polícia Federal na sexta-feira (17). São 31 armas apreendidas, 87 artefatos explosivos, 23 galões de gasolina, além de veículos, dinheiro, drogas e munições apreendidas.

Um policial penal do Rio Grande do Norte foi morto a tiros em um atentado realizado por criminosos na noite de sexta-feira (17) em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. Carlos Eduardo Nazário, de 49 anos, foi socorrido e levado em uma viatura da Polícia Militar para o Hospital Santa Catarina, na Zona Norte de Natal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo a polícia, o crime aconteceu por volta das 21h30. Familiares informaram que o policial penal foi atingido com três tiros no braço, na perna e no tórax, enquanto estava em um comércio do bairro.

Outras mortes

O governo ainda não divulgou um balanço com o número de mortos desde o início dos atentados no Rio Grande do Norte. No entanto, a polícia civil confirmou que o assassinato de um comerciante na noite de terça-feira (14), na Zona Oeste de Natal, tem relação com os ataques. Um suspeito foi preso.

Na terça-feira (14), um suspeito morreu em confronto com policiais. Outro também morreu em troca de tiros com a polícia nesta sexta-feira (17), durante cumprimento de mandados em uma operação contra integrantes da facção criminosa apontada como responsável pelos ataques.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, 104 pessoas foram presas até às 6h deste sábado (18). 29 armas de fogo, 87 artefatos explosivos e 23 galões de galões de gasolina também foram apreendidos desde a terça (14).

Tiroteios e atentados

Pelo menos três tiroteios entre policiais e criminosos foram registrados na noite de sexta-feira (17). Um deles aconteceu na Ponte Newton Navarro, que liga a Zona Norte de Natal às demais regiões administrativas da cidade.

O outro confronto ocorreu no bairro Mãe Luiza. Segundo a polícia, militares foram ao local prender um homem com seis mandados de prisão aberto, após receberem informações sobre a localização dele. Durante a prisão, suspeitos jogaram pedras e pelo menos um atirou contra a polícia, que revidou aos tiros. Não há informação sobre feridos em ambos os casos.

A Polícia Militar também confirmou que houve disparo de armas de fogo após um ataque com um princípio de incêndio criminoso em uma oficina no bairro Dix-Sept Rosado, na Zona Oeste da capital potiguar. O caso aconteceu por volta das 22h30.

Bombeiros apagaram as chamas e policiais trocaram tiros com suspeitos durante as buscas em um terreno próximo, de onde os autores do ataque teriam jogado um coquetel molotov. Ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Militar, dois suspeitos foram presos após incendiarem um antigo depósito com materiais inflamáveis na prefeitura de Ceará-Mirim, na Grande Natal, na noite de sexta-feira (17). Uma arma de fogo também foi apreendida na ação. Os suspeitos foram encaminhados para Delegacia de Plantão da Polícia Civil.

Em Natal, criminosos com armas em punho expulsaram moradores e incendiaram três casas no bairro Igapó, na madrugada deste sábado (18). Um vizinho que tentou ajudar as vítimas a apagar as chamas foi hospitalizado após inalar fumaça.

Por volta das 3h40, um supermercado localizado em Nova Parnamirim, na Grande Natal, foi incendiado. Segundo o proprietário do estabelecimento, duas garrafas que estavam com combustíveis, usadas para queimar o local, foram encontradas na frente do estabelecimento.

“Jogaram duas garrafas de coquetel molotov nas portas. O fogo entrou por baixo da porta, pegou em cestinhas que tinha logo na entrada, pegou num freezer de refrigerante e o fogo foi se alastrando, pegou o teto. Mas os vizinhos viram, ligara para os Bombeiros, que rapidamente debelou as chamas, para nossa felicidade”, afirmou o empresário, que pediu para não ser identificado.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos