12.6 C
Ouro Branco

Funcionários do Metrô e da CPTM encerram greve contra privatização, mas seguem mobilizados

Anúncios

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo decidiu encerrar a greve realizada nesta terça-feira (3) contra a privatização. Em assembleia, os trabalhadores votaram pelo fim da paralisação e decidiram realizar uma nova reunião na próxima segunda-feira (9), para decidir sobre nova greve.

Os trabalhadores da CPTM e da Sabesp já haviam deliberado por uma paralisação de 24 horas. Portanto, todas as linhas de trem e metrô de São Paulo estarão em funcionamento normal nesta quarta-feira (4).

Altino de Melo Prazeres, coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, afirmou que o movimento foi foi bem-sucedido por dar visibilidade ao tema. “Estamos todos de parabéns, (tivermos) o apoio da população. Queremos fazer um desafio para o governador: fazer um plebiscito oficial pra decidir se é correta ou não a privatização”, disse ele.

Renê Vicente, tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Sintaema), também considerou positivo o movimento. “As três categorias conseguiram parar e forçaram o governo a vir a público colocar o posicionamento dele, colocar algo que ele vem fazendo: acelerar o processo de privatização sem discussão”, disse. “Ele vem se reunindo com prefeitos, vem cobrando celeridade da Assembleia Legislativa mas não debate com a sociedade.”

O próximo passo, de acordo com Vicente, é manter a unidade e reforçar o plebiscito popular sobre a privatização das três empresas. A votação é  uma iniciativa de trabalhadores, sindicatos e movimentos populares para gerar diálogo com a população. “Esse é o ponto principal que conseguimos com a paralisação: chamar a atenção da população para os riscos que ela corre diante da privatização”, disse.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos