15.4 C
Ouro Branco

Filho diz que pai morto em chacina parou para ver sinuca: “Não tinha nada a ver”

Anúncios

Josué Ramos Tenório, uma das vítimas da chacina (foto em destaque) era empresário de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, em Mato Grosso, e adorava ver os outros jogando sinuca.

E, por causa disso, entrou em um bar em Sinop para acompanhar uma partida do jogo.

Ele foi uma das vítimas de Edgar Ricardo de Oliveira, 30 anos, e Ezequias Souza Ribeiro, 27, autores da chacina que matou sete pessoas no local.

De acordo com Cícero Dias, filho adotivo de Josué, o pai estava por acaso no local. Ele vendia frutas e entrou no bar antes da tragédia ocorrer.

“Ele e outras pessoas não tinham nada a ver. Foi uma crueldade, uma situação desumana. Nem caiu a ficha ainda. É um monstro quem faz um negócio desse”, afirmou Cícero ao G1.

Veja:

“Ele sempre ia ao bar, gostava de assistir, acompanhar o pessoal jogar. Ele nem estava jogando, estava assistindo. Nossa família está arrasada, todos sem entender”, completou o filho de Josué.

Ezequias Souza Ribeiro, um dos suspeitos, morreu após ser baleado em confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na tarde de quarta-feira (22/2). Segundo informações preliminares, ele foi encaminhado para um hospital municipal em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos.

O segundo suspeito, Edgar Ricardo de Oliveira, de 30 anos, afirmou que irá se apresentar à Polícia Civil nesta quinta-feira (23/2). A informação foi confirmada ao RD News, pelo seu advogado, Marcos Vinicius Borges. A decisão teria partido do próprio Edgar após orientação da defesa.

Metrópoles

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos