23 C
Ouro Branco

EUA deveriam ‘fornecer menos armas’ a Israel, diz União Europeia

Anúncios

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, criticou o fornecimento de armas a Israel pelos EUA e por países europeus, dizendo que “se a comunidade internacional acredita que isso é um massacre, que muitas pessoas estão morrendo, talvez devêssemos pensar no fornecimento de armas”.

Continua após publicidade

As falas vêm no mesmo dia em que Israel matou dezenas em Rafah, cidade que abriga mais de 1 milhão de refugiados palestinos, durante uma operação que libertou dois reféns israelenses.

Continua após publicidade

“Quantas vezes ouvimos líderes dizerem que muitas pessoas estão morrendo? O presidente (Joe) Biden disse que isso é excessivo; não é proporcional. Bom, se ele acha que muitas pessoas estão morrendo, talvez devesse fornecer menos armas”, disse Borrell.

O funcionário da UE se referia a um discurso feito pelo presidente dos EUA na última sexta-feira (9), após o segundo dia de ataques israelenses contra Rafah, durante o qual o democrata considerou “excessivo” o massacre israelense na Faixa de Gaza.

O diplomata criticou ainda a intenção do governo israelense de retirar os habitantes da Faixa de Gaza. “Para onde eles vão levá-los? Para a Lua?”, questionou.

Segundo o Ministério da Saúde em Gaza, até o momento mais de 28 mil palestinos já foram mortos desde o início das hostilidades israelenses contra a região, a maioria mulheres e crianças.

Com a iminência de uma invasão terrestre em Rafah, o Hamas, a ONU e até aliados de Israel, como os EUA e países europeus, pedem que o premiê Benjamin Netanyahu desconsidere a ofensiva.

A cidade de Rafah está localizada ao sul da Faixa de Gaza e faz fronteira com o Egito. Ela é usada como ponto de espera por milhares de palestinos que tentam deixar o território para escapar dos ataques israelenses.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos