16.3 C
Ouro Branco

Bruxismo atinge 40% da população brasileira e está ligado a ansiedade e estresse

Anúncios

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 30% da população mundial e 40% dos brasileiros sofrem de bruxismo.

O transtorno se manifesta pelo apertamento ou ranger involuntário dos dentes e virou preocupação cada vez mais urgente para profissionais da saúde bucal em todo o mundo. Este distúrbio, muitas vezes negligenciado, pode causar uma série de problemas dentários e também ter impacto significativo na saúde geral das pessoas.

Entre os danos que o bruxismo pode acarretar estão o desgaste do esmalte, fraturas dentárias, sensibilidade e, em casos extremos, até mesmo a perda de dentes. No entanto, os riscos vão além disso. Segundo o dentista Lucas Marques, o desgaste excessivo causado pelo bruxismo afeta diretamente a função dos dentes, dificultando a mastigação adequada e podendo levar a problemas estomacais devido à ingestão inadequada de alimentos.

De acordo com o especialista, existem sintomas específicos que indicam que alguém está sofrendo de bruxismo. Esses sintomas podem ser o desgaste incisal, que ocorre quando os dentes superiores se desgastam demais, fraturas nas cervicais – aquela parte mais próxima da gengiva – e pode estar relacionado a enxaqueca, então o mais adequado é procurar um dentista para identificar esses sinais e sintomas e fazer um planejamento do tratamento.

Mesmo em âmbito acadêmico, as causas do bruxismo ainda não foram afirmadas completamente. Acredita-se que vários fatores, inclusive hereditários e genéticos possam provocar o distúrbio. Alguns estudos sugerem que existe relação com o estilo de vida e que as pessoas mais propensas a desenvolver o problema são as que sofrem de ansiedade, estresse, refluxo gastroesofágico, características do sono, como roncar e babar no travesseiro, e dificuldades de concentração nas atividades do dia a dia.

Além disso, os pais devem se atentar em casos de bruxismo em crianças, devem ficar em alerta ao padrão de respiração durante a noite, pois há evidências de que o bruxismo do sono pode estar relacionado ao ato de respirar pela boca e infecções das vias aéreas superiores.

Não é possível concluir que existe cura para o bruxismo, mas existem tratamentos. Segundo o dentista Lucas Marques, um tratamento comum é a placa meio relaxante, uma placa feita pelos profissionais, rígida, que evita esse desgaste. Ele comenta também que a primeira medida a ser tomada é procurar um dentista para fazer sempre a avaliação, fazer a correção ortodôntica ou a má oclusão, ou seja, o encaixe incorreto dos dentes que pode gerar esse hábito.

“Para evitar o transtorno a pessoa deve ter uma boa qualidade de vida, fazer atividade física, boa alimentação, uma boa noite de sono. Hoje em dia o pessoal mexe muito no celular antes de dormir. Então já começar a desligar o celular um pouco antes de dormir, fazer uma leitura, algo que deixa a pessoa mais relaxada para dormir adequadamente”, afirma o especialista.

Autoestima

Além de problemas da saúde, o bruxismo é um grande problema na questão da autoestima das vítimas desse transtorno. O desgaste excessivo dos dentes pode levar a uma mudança na aparência do sorriso, resultando em dentes desiguais, desgastados ou fraturados.
Segundo o dentista Lucas Marques, “O desgaste vai trazendo uma anatomia mais disforme no dente. O paciente acaba ficando envergonhado do seu sorriso e isso acaba atrapalhando ele no dia a dia e com a convivência com outras pessoas”, finalizou.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos