14.7 C
Ouro Branco

Danilo Cavalcante, o fugitivo brasileiro nos EUA, é incluído na lista da Interpol

Anúncios

A Interpol incluiu em sua lista vermelha o brasileiro Danilo Cavalvante, que fugiu da cadeia nos Estados Unidos em 31 de agosto.

Cavalcante, de 34 anos, foi condenado nos EUA à prisão perpétua por ter matado a ex-namorada. Depois de fugir da cadeia escalando uma parede, ele já escapou há mais de dez dias dos agentes que fazem buscas por ele.

Buscas sem o governo do Brasil

A operação envolve mais de 400 policiais de diferentes esferas de governo, helicópteros e drones.

Durante uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (11), perguntaram ao porta-voz da polícia se há alguém do governo brasileiro participando das buscas por Danilo.

O porta-voz George Bivens, coronel da polícia do estado, respondeu o seguinte: “Não temos nenhuma pessoa do governo brasileiro aqui, os promotores já conseguiram obter as informações que precisávamos sobre a vida dele (de Danilo) e pudemos usar essa informação”.

O porta-voz George Bivens, coronel da polícia do estado, respondeu o seguinte: “Não temos nenhuma pessoa do governo brasileiro aqui, os promotores já conseguiram obter as informações que precisávamos sobre a vida dele (de Danilo) e pudemos usar essa informação”.

Roubo de carro

Nos primeiros dias, Danilo estava em uma área de vegetação que a polícia tentou isolar. As autoridades entendem que ele conseguiu deixar essa região e que agora está em uma cidade.

Os policiais disseram que essa área que estava cercada era de vegetação muito densa, e que por isso era muito difícil de encontrar alguém.

De acordo com as autoridades, Danilo conseguiu encontrar um carro com chave dentro em uma região próxima a essa área que estava cercada.

“Temos medo que ele roube outro carro para escapar. Pedimos para que o público se familiarize com a foto, chequem os vídeos de câmera de segurança”, disse a polícia.

Os agentes dizem acreditar que o fugitivo ainda está no estado da Pensilvânia e que, em ambientes urbanos, a forma de procurar um fugitivo é diferente. Eles se referem a essa nova fase como “jogo longo”, e afirmam que têm mais experiência nesse tipo de caçada humana do que em uma busca em região de vegetação densa.

Fonte: g1

A Interpol incluiu em sua lista vermelha o brasileiro Danilo Cavalvante, que fugiu da cadeia nos Estados Unidos em 31 de agosto.

Lista da Interpol

Cavalcante, de 34 anos, foi condenado nos EUA à prisão perpétua por ter matado a ex-namorada. Depois de fugir da cadeia escalando uma parede, ele já escapou há mais de dez dias dos agentes que fazem buscas por ele.

Buscas sem o governo do Brasil

A operação envolve mais de 400 policiais de diferentes esferas de governo, helicópteros e drones.

Durante uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (11), perguntaram ao porta-voz da polícia se há alguém do governo brasileiro participando das buscas por Danilo.

O porta-voz George Bivens, coronel da polícia do estado, respondeu o seguinte: “Não temos nenhuma pessoa do governo brasileiro aqui, os promotores já conseguiram obter as informações que precisávamos sobre a vida dele (de Danilo) e pudemos usar essa informação”.

O porta-voz George Bivens, coronel da polícia do estado, respondeu o seguinte: “Não temos nenhuma pessoa do governo brasileiro aqui, os promotores já conseguiram obter as informações que precisávamos sobre a vida dele (de Danilo) e pudemos usar essa informação”.

Roubo de carro

Nos primeiros dias, Danilo estava em uma área de vegetação que a polícia tentou isolar. As autoridades entendem que ele conseguiu deixar essa região e que agora está em uma cidade.

Os policiais disseram que essa área que estava cercada era de vegetação muito densa, e que por isso era muito difícil de encontrar alguém.

De acordo com as autoridades, Danilo conseguiu encontrar um carro com chave dentro em uma região próxima a essa área que estava cercada.

“Temos medo que ele roube outro carro para escapar. Pedimos para que o público se familiarize com a foto, chequem os vídeos de câmera de segurança”, disse a polícia.

Os agentes dizem acreditar que o fugitivo ainda está no estado da Pensilvânia e que, em ambientes urbanos, a forma de procurar um fugitivo é diferente. Eles se referem a essa nova fase como “jogo longo”, e afirmam que têm mais experiência nesse tipo de caçada humana do que em uma busca em região de vegetação densa.

Fonte: g1

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos