19.7 C
Ouro Branco

Avião que caiu em Minas Gerais decolou de Campinas, diz Corpo de Bombeiros

Anúncios

O avião que caiu em Itapeva, interior de Minas Gerais, na manhã deste domingo (28), saiu do Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, interior de São Paulo. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros de MG. Segundo a corporação, o chamado para o atendimento da ocorrência aconteceu às 10h38 de hoje.

A aeronave já foi localizada e oito bombeiros realizam o trabalho de resgate, em um perímetro de aproximadamente 400 metros. Ainda conforme o Corpo de Bombeiros, os óbitos estão sendo confirmados por peritos da Polícia Civil de Minas Gerais presentes no local. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) foi acionado para investigar o caso.

A CNN entrou em contato com a Rede Voa, responsável pelo gerenciamento do Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, e aguarda um retorno para saber o número de passageiros que embarcaram na aeronave. Porém, conforme documento de registro da aeronave junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o avião não tinha autorização para realizar táxi aéreo.

O acidente

Testemunhas que abriram o chamado afirmaram ter visto o avião se partindo no ar enquanto sobrevoava a região, e depois suas partes caindo aos poucos no chão.

Bombeiros de Extrema atuam no local, e confirmaram que encontraram os corpos de dois homens e uma mulher, ainda não identificados, no interior da aeronave. Os agentes seguem nas buscas de outras possíveis vítimas na região em que os destroços da aeronave caíram, a um raio aproximado de 400 metros.

O avião, de prefixo PS-MTG, modelo PA-46-350P, foi fabricado pela empresa Piper Aircraft. Segundo registro da Agência Nacional de Aviação Civil, a aeronave estava com os documentos em dia, mas não tinha autorização para táxi aéreo.

Nota – CENIPA

Investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA III), localizados no Rio de Janeiro (RJ), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), foram acionados, neste domingo (28/01), para realizar a Ação Inicial da ocorrência envolvendo a aeronave de matrícula PS-MTG, em Itapeva (MG).

Na Ação Inicial são utilizadas técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado que realiza a coleta e confirmação de dados, a preservação dos elementos da investigação, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo de investigação.

A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes.

Fonte: Uol

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos