17.6 C
Ouro Branco

Após fim da greve, policiais civis retomam serviços extras com diárias operacionais no RN

Anúncios

Serviços extra estavam suspensos desde o dia 15 de abril, antes mesmo da greve, que terminou na quinta (25). Decisão foi tomada após oficialização de acordo com governo do RN. Central de flagrantes da Delegacia de Plantão da Zona Sul de Natal

Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram nesta sexta-feira (26) retomar os serviços extras com diárias operacionais em todo o estado. A decisão foi tomada em assembleia do Sindicato de Policiais Civis do RN (Sinpol), um dia após da categoria ter encerrado a greve.

Com isso, os serviços nas delegacias de plantão e regionais do estado voltam a ser normalizados. Os serviços extras haviam sido suspensos desde o dia 15 de abril, antes mesmo do início da greve.

Segundo o Sinpol, na manhã desta sexta, uma reunião na Secretaria Estadual de Administração (Sead) oficializou a proposta apresentada pelo governo do RN, que, entre outros pontos, concede um reajuste médio de 7% para a categoria. O acordo havia sido acertado na quinta (25).

“Nele, constam os percentuais negociados para a valorização e a confirmação de que o direito ao auxílio-alimentação será enviado à Assembleia Legislativa em maio deste ano, com a discussão de regulamentação da implantação ficando para janeiro de 2025”, informou o Sinpol.

O acordo definitivo foi aprovado pelos policiais civis, segundo o Sinpol, após assembleia, e culminou com a volta dos serviços extras com diárias operacionais.

Além do reajuste, a categoria também teve aprovada na Assembleia Legislativa um projeto de lei para a criação do auxílio-fardamento.

Greve da Polícia Civil chega ao fim

Fim da greve

Os policiais encerraram, na quinta-feira (25), a greve que havia sido iniciada na terça-feira (23). Com isso, as delegacias do estado voltaram a funcionar no expediente normal nesta sexta.

O Sinpol, no entanto, tinha previsto que os serviços com diárias operacionais seguiriam até que acordo com o Executivo fosse “concretizado e assinado”, o que aconteceu nesta sexta.

Desde o início da negociação, os policiais civis buscavam uma proposta de reajuste salarial de 10%. O acordo fechado com o governo foi, em média, de 9% de reajuste para os policiais antigos e de 6% para os que entraram nas novas turmas.

“A proposta coloca um percentual médio de 7% nas classes policiais”, explicou o presidente do Sinpol, Nilton Arruda.

O acordo foi fechado após uma reunião com o secretário de Segurança e Defesa Social do RN, Coronel Francisco Araújo, e com outros representantes do governo. À tarde, a categoria aceitou a proposta em assembleia.

GREVE DA PC: Família não consegue registrar BO e corpo de idoso fica 24 horas ‘preso’ em hospital em Natal

O retorno também foi condicionado à uma promessa da implantação do auxílio-alimentação.

“Todas as categorias de segurança recebem auxílio-alimentação. A única que não recebe é a Polícia Civil. E a gente vai querer um tratamento igual pra poder aceitar essa tabela que nos foi acertada hoje”, disse Nilton. .

Durante os dias de greve, as delegacias do Rio Grande do Norte ficaram fechadas, tendo sido abertas apenas algumas delegacias de plantão.

A Justiça do Rio Grande do Norte havia determinado na quarta (24) o retorno imediato dos policiais civis, após pedido do Ministério Público. O direito de greve por parte da Polícia Civil ou de profissionais de qualquer carreira policial é inconstitucional, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2017.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos