14.8 C
Ouro Branco

Água de “Lagoa Azul” está contaminada e fica verde

Anúncios

O espaço que ficou conhecido como “Buraco Azul” ou “Lagoa Azul”, no bairro Nova Esperança, em Parnamirim, na Grande Natal, será um projeto urbanístico de lazer e de turismo, segundo anúncio oficial da Prefeitura feito nesta quarta-feira (08).  O buraco com água azul-turquesa,   encontrado após escavações da Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) durante a obra para construção de uma Estação Elevatória de Esgotos (EEE), tem chamado a  atenção de curiosos,visitantes e moradores da regi’ao nas últimas semanas,  que acreditam que ali poderá se tornar um novo ponto turístico. Contudo, também resultou no uso desenfreado do turismo improvisado. Essa movimentação tem deixado, em menos de duas semanas, a água contaminada e com uma cor esverdeada, semelhante a lodo.

A confirmação foi dada nesta quarta-feira (08) pela Caern em entrevista coletiva junto com o prefeito da cidade, Rosano Taveira. Na semana passada, a companhia chegou a divulgar um boletim informando que a água era boa para consumo humano, no entanto, novos testes feitos pelo órgão apontaram que a água está contaminada com bactérias e coliformes fecais. Para voltar a ser utilizada, uma das possibilidades seria drenar a água suja para que água limpa volte a aparecer no local.

“Naquele momento a água era adequada para banho. Agora, com o uso, as pessoas pulando, fazendo xixi dentro, e usando inadequadamente, como é um espaço confinado e não tem renovação, ela está contaminada e inadequada para banho e uso. Ela tem que ser renovada para ser utilizada”, disse.

A Prefeitura de Parnamirim informou ainda que já está ampliando taludes visando impedir a entrada de curiosos e pessoas não autorizadas e diz que a Guarda Municipal fará  segurança do local. No último final de semana, havia homens da segurança no espaço para orientar e deter aqueles que instalassem barracas, carros de som ou pulassem na lagoa. Nesta quarta-feira (08),  mesmo após bloqueios no local, ainda era possível adentrar o espaço sem dificuldades.

Durante a coletiva de imprensa, geólogos e técnicos da Caern apresentaram um estudo sobre o perfil do subsolo, condições geológicas e morfológicas do espaço e uma análise da água.

“A coloração ocorreu devido os minerais de argila que estavam embaixo da água. Por ser uma argila cinza/esbranquiçada, ela dava esse reflexo azul/turquesa na água. Se fosse um aspecto branco, a água iria refletir num tom azul. Com esse material dissolvido, dava essa tonalidade turquesa”, explica o coordenador de Meio Ambiente e Saneamento da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Robson Henrique.

Projeto para área de lazer será definido até outubro

A Prefeitura de Parnamirim decidiu que a “Lagoa Azul” será um espaço de lazer ou de turismo viabilizado nos próximos meses.  A Estação Elevatória de Esgotos (EEE) que estava sendo construída pela Caern será transferida para outro espaço. “Estão sendo elaborados projetos e acredito que entre agosto e outubro estejam em pauta para discussão com a população. Mas, com certeza, será preservado aquele fenômeno que surgiu naquele trecho”, disse o prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira.

De acordo com o secretário de Obras da cidade, Josuá Neto, os projetos definirão se o espaço será um parque, uma praça ou um mirante. “É um bairro com crescimento populacional exagerado e de forma desestruturada. Tem vias abertas, mobilidade que permite bom tráfego, mas em termos de lazer, praças, ambientes para a população, não temos nenhum num porte que gere prática de exercícios, caminhadas, esportes, como nossas praças que temos projetado”, disse.

A “Lagoa Azul” virou atração para curiosos, moradores e populares de todas as idades que visitam o espaço, localizado na Rua João Paulo II, no bairro Nova Esperança, contudo, as obras na Estação Elevatória de Esgoto (EEE) continuarão após a Caern adequar a licença ambiental junto ao Instituto do Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN (Idema).

Segundo Roberto Linhares, diretor-presidente da Caern, não haverá custos para realocar a EEE para outro local. Inicialmente, segundo Linhares, a preocupação era na manutenção do projeto original visando a cobertura de esgotamento da região. No entanto, após análises, foi concluído que a EEE poderá ser feita num espaço de até 100m da Lagoa Azul.

“A preocupação da Caern era não poder parar a obra em função de precisarmos melhorar o esgotamento de Parnamirim, que só tem 5% de cobertura. Nas conversas que tivemos com o município, foi ajustado que esse terreno é grande e na parte mais baixa poderemos colocar a Elevatória”, disse o diretor-presidente da Caern. Segundo ele, não haverá custos para o município porque esse deslocamento vai ser de até 70 metros. “A Caern apoia o município e as soluções técnicas não vão afetar a obra como um todo”, completou.

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos